.

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Bope invade banco, liberta 27 reféns e prende bandido com arma de brinquedo


Parecia cena de filme de ação, mas um assalto real, com reféns e tiroteio, aconteceu nesta terça-feira à tarde na Taquara. Seis bandidos armados invadiram uma agência da Caixa Econômica Federal e fizeram 24 clientes ou funcionários e três vigilantes reféns. A ação terminou com um preso e um arma de brinquedo apreendida, após a entrada de agentes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) no local. Todas as vítimas foram libertadas e pelo menos cinco bandidos conseguiram escapar.


A tentativa de assalto aconteceu por volta das 16h30 na agência da Praça Jauru. Segundo PMs, todos os bandidos entraram no banco usando armas de plástico, para não travar o detector de metais da porta giratória. Dentro da agência, renderam os vigilantes e pegaram suas armas.
Um funcionário do banco conseguiu acionar a Polícia Militar, que enviou equipes do 18º BPM (Jacarepaguá). Quando os PMs cercaram o estabelecimento, cinco criminosos tentaram fugir e trocaram tiros com os policiais. Houve pânico de pedestres e passageiros de ônibus que passavam pelo local. Um Clio, estacionado na rua, foi atingido por disparo. Um coletivo da linha 889A (Sulacap-Alvorada), teve a lataria e vidros perfurados. Ninguém ficou ferido. Peritos examinaram o veículo no local.
Baleado, um ladrão fugiu de moto, segundo testemunhas. Os outros quatro também escaparam do cerco. O Grupo de Resgate e Retomada do Bope chegou e entrou na agência. Os policiais identificaram um suspeito que se passava por cliente.
Com o criminoso, foi apreendida uma pistola calibre 40 (pode ter sido tomada de um vigilante) e uma mochila com dinheiro roubado do banco. De acordo com o comandante do 18º BPM (Jacarepaguá), tenente coronel Rogério Figueiredo, ao todo três armas, sendo dois revólveres e uma pistola, foram apreendidas. Os ‘caveiras’ fizeram triagem entre os reféns para tentar identificar mais suspeitos. Todos as 27 pessoas que estavam na agência foram levadas para a sede da Polícia Federal, na Praça Mauá, em um ônibus, onde seriam identificados e prestariam depoimento. Até o fim da noite de terça-feira, ninguém havia saído da delegacia.
Assista ao momento em que o Bope invade o banco:

Crime foi retratado em filme
A ação dos bandidos na agência da Caixa Econômica poderia ter sido inspirada na ficção. No filme americano ‘O Plano Perfeito’, quatro assaltantes se misturam aos clientes para desorientar e confundir os agentes de segurança
No ‘thriller’ policial dirigido por Spike Lee, os criminosos entram em um movimentado banco em Nova York (EUA) vestidos com macacões e capuzes e anunciam o assalto para as 50 pessoas, entre clientes e funcionários.
Com a chegada da polícia, os assaltantes obrigam os clientes a usar o mesmo disfarce da quadrilha, deixando a dúvida de quem é vítima ou bandido.

"Reforço na segurança"
Para o coronel Paulo Amêndola, fundador do Bope, a segurança nas agências bancárias precisa ser redobrada. “Ainda existem bancos que nem possuem portas com detectores de metais. Os vigilantes precisam estar mais atentos. O ideal é que houvesse viatura baseada próximo de agência, mas não há efetivo para isso. A ação do Bope foi estratégica”, comentou.
Ainda segundo o especialista, os vigilantes não devem reagir a tentativas de assalto. “Dentro da agência sempre há muitos clientes. Numa troca de tiro, fatalmente um deles seria atingido”, ponderou. No último dia 12, dois vigilantes foram presos, acusados de assaltar agência bancária no Leblon, na Zona Sul. Eles confessaram o crime. A dupla teria acertado com bandidos o horário e o dia em que eles estariam trabalhando para que a ação fosse facilitada. Na ocasião, cinco homens entraram no local desarmados, tomam as armas de três vigilantes e anunciam o assalto.
Nos últimos dez anos, o Bope participou de mais de 200 ações com reféns no Rio. Em todos os casos, os reféns foram resgatados. Na ação de ontem, que não chegou a ter negociação por parte dos policiais, eles cercaram a agência bancária de forma estratégica e fizeram uma espécie de triagem entre os reféns para tentar localizar algum suspeito, além de uma varredura no banco em busca de armas e explosivos.

Por O Dia

Ator que viveu o Professor Girafales em ‘Chaves’ vende casa para comprar remédios



O ator Rubén Aguirre, conhecido por viver o personagem Professor Girafales, em “Chaves”, precisou pôr à venda uma casa que tem na cidade mexicana Villa de Tepetlaoxtoc para comprar remédios. Com problemas de saúde, ele e a esposa, Consuelo De Los Reyes, anunciaram a venda do imóvel na internet. O ator, que teve que deixar o hospital onde se tratava de um problema na vesícula por não ter condições financeiras de pagar pelos serviços médicos, pede a quantia de 7 milhões de pesos (cerca de R$ 1,4 milhão). As informações são do portal mexicano “TV y Novelas”.



Um vídeo publicado em uma conta não verificada do ator mostra uma série de imagens de Aguirre com a família na casa que foi posta à venda. Nas imagens, o ator aparece em vários momentos com a família, no imóvel que, segundo o site, servia como uma casa de veraneio para ele. De acordo com a publicação, Aguirre, que está com 81 anos, também tenta vender uma pequena fazenda que tem no México, por cerca de R$ 590 mil.

Aguirre ainda não se pronunciou sobre o caso. Recentemente, o ator pediu ajuda à emissora de TV Televisa, que transmitia o seriado do qual ele fazia parte. Ele pedia auxílio no pagamento de suas dívidas hospitalares, mas não foi atendido.

Do Extra Online

Estado Islâmico ameaça tomar Faixa de Gaza do Hamas

Foto: Reprodução


Grupo acusa o Hamas de não ser rígido sobre a aplicação da lei religiosa.
Declaração foi feita em vídeo a partir de fortaleza na Síria.


Insurgentes do grupo Estado Islâmico ameaçaram nesta terça-feira (30) transformar aFaixa de Gaza em mais um de seus feudos do Oriente Médio, acusando o Hamas, organização que governa o território palestino, de não ser rígido o suficiente sobre a aplicação da lei religiosa.
A declaração em vídeo, emitida a partir de uma fortaleza do Estado Islâmico na Síria, foi um raro desafio público ao Hamas, que tem reprimido os jihadistas em Gaza que se opõem a tréguas com Israel e reconciliação com a facção palestina rival Fatah, apoiada pelos Estados Unidos.
"Vamos arrancar o Estado dos judeus (Israel), e vocês e o Fatah, e todos os secularistas não são nada, e vocês serão totalmente devastados por nossas multidões", disse um membro mascarado do Estado Islâmico na mensagem dirigida aos "tiranos do Hamas".
"A regra da sharia (lei islâmica) será implementada em Gaza, apesar de vocês. Nós juramos que o que está acontecendo hoje no Levante, e em particular no campo de Yarmouk, vai acontecer em Gaza", afirmou ele, referindo-se aos avanços do Estado Islâmico na Síria, incluindo em um distrito de Damasco fundado por refugiados palestinos.
O Estado Islâmico também tomou faixas de território no Iraque e reivindicou ataques no Egito, Líbia, Tunísia e Iêmen.
O Hamas é um movimento islâmico que compartilha a hostilidade dos jihadistas para com Israel, mas não sua busca por uma guerra religiosa global, definindo-se mais no âmbito do nacionalismo palestino. É considerado um grupo terrorista por Israel, Estados Unidos e União Europeia.

Da Reuters

Vereador é indiciado por estupro ao manter relacionamento com menor


Um vereador de 59 anos foi indiciado pela Polícia Civil da cidade de Valença, na Bahia, após ser denunciado por estupro de vulnerável por manter relacionamento com uma adolescente de 14 anos, com quem já tem um filho. Segundo José Raimundo Neri Pinto, delegado plantonista da unidade policial, a denúncia foi feita há cerca de três meses.

Ainda segundo o delegado, o inquérito foi concluído e remetido ao Ministério Público da comarca de Valença na segunda-feira (29). Segundo informações do MP, o inquérito foi recebido pela comarca e está em fase de análise para elaboração da denúncia. Ao G1, na manhã desta quarta-feira (1º), o edil informou que não irá se pronunciar sobre o assunto. O vereador Valdomiro Galdino dos Santos (PT) atua na cidade de Mutuípe.

Conforme o delegado, o crime se configurou a partir do momento em que o ato sexual foi consumado antes da menina completar 14 anos. Segundo a polícia, o vereador teve um filho com a adolescente e mora com a menor na casa dos pais dela, na zona rural de Valença. "Ele [vereador] foi indiciado no artigo 217-A do Código Penal Brasileiro (CTB), por crime de estupro de vulnerável. Isso porque antes da menina completar 14 anos foi consumado o ato sexual, sendo considerado crime. Com essa idade, a adolescente não tem maturidade psíquica para consentir a prática de atos libidinonos", detalhou.

O delegado ainda disse que a adolescente confirmou a prática em depoimento. Ainda segundo Raimundo Nero, o vereador não compareceu para prestar depoimento, mesmo após receber três notificaçães por meio do presidente da Câmara de Vereadores de Mutuípe. Ainda conforme a polícia, a família da adolescente aprova o relacionamento desde 2014, quando o casal começou o namoro.

Risco de cassação: Com o crime, o vereador corre o risco de ter o mandato cassado, segundo Junior Cardoso, presidente da Casa. "Recebemos uma denúncia, feita por um ex-vereador, pedindo a apuração do caso de estupro de menor. O pedido de apuração e investigação do processo pela Câmara foi votado por unanimidade. Inclusive, o próprio vereador votou aceitando que houvesse a apuração. Ele diz que é inocente. Para a Câmara, isso significa crime de quebra de decoro parlamentar. Caso seja confirmada a infração, ele deverá ser cassado", explicou Cardoso ao G1.

Ainda segundo o presidente da Câmara, uma comissão formada por três vereadores está analisando se houve o crime de quebra de decoro parlamentar. Mediante a apresentação do relatório final, e se existir a confirmação do crime parlamentar, a situação será apresentada ao plenário e o pedido de cassação será feito. "O inquérito foi instaurado no dia 21 de maio, e a comissão da Câmara tem 90 dias para finalizar o processo e votar. Para cassar o mandato, precisamos de 8 votos. Dois terços de 11. O vereador e o suplente também não votam", disse Junior Cardoso.

O vereador Edvaldo Santos (DEM), que é relator da comissão criada, diz que o objetivo do grupo criado é tomar as "devidas providências". "Eu, como vereador, acho isso errado, porque para mim é uma criança. E uma criança dessa deveria estar estudando, e hoje é uma mãe de família", afirma. O vereador diz ainda que Valdomiro já declarou oficialmente na Câmara que possui um relacionamento com a jovem e que tem o apoio da família dela.

Fonte: G1

Mulher confessa que matou grávida para roubar bebê em Minas Gerais


A mulher presa na manhã desta quarta-feira, suspeita de matar a grávida Patrícia Xavier da Silva, de 21 anos, em Ponte Nova, Minas Gerais, confessou o crime. Detida com o marido, Gilmária Silva Patrocínio admitiu que matou a mulher que estava no nono mês de gestação para roubar o bebê, que ainda estava na barriga da vítima. 

O bebê, um menino, está vivo e recebe os cuidados de assistentes sociais. No depoimento à polícia, Gilmária chegou a negar a autoria do crime, mas não sustentou a versão apresentada e depois confessou que havia cometido o delito. A Polícia Civil informou ainda que, na tarde desta quarta-feira, vai com Gilmária fazer a reconstituição do crime. Ela e o marido, que não identidade revelada, estão presos preventivamente. A polícia ainda procura por outro suspeito de participação no assassinato.

Patrícia foi encontrada morta nesta terça-feira, depois de ficar por quatro dias desaparecida. Na sexta-feira, a jovem saiu de casa para fazer o último exame antes do parto. O corpo dela foi encontrado com um corte no pescoço e outro na barriga. O bebê já havia sido retirado.

Agentes do Corpo de Bombeiros chegaram ao local após uma denúncia anônima. De acordo com a polícia, tudo indica que a jovem foi assassinada pouco tempo antes de ser encontrada, já que o corpo não estava em estágio avançado de decomposição. No local, foram encontrados um colchão, um cobertor, um lenço, um copo de água e restos de comida. A polícia investiga se, antes de morrer, a vítima ainda foi feita refém no local.

A jovem era casada há mais de sete anos e esperava seu primeiro filho. O corpo dela foi encaminhado ao Instituto Médico Legal. Ainda não há informações sobre o sepultamento da vítima.

Do Extra Online

Distribuidora da Petrobras abre 145 vagas; Salários chegam a R$5.139,71


Além das oportunidades imediatas, há 4.480 para cadastro de reserva


A Liquigás Distribuidora, empresa do Sistema Petrobras, resposnável pelo  envase e distribuição de gás liquefeito de petróleo (GLP), abriu concurso  145 vagas, além de outras 4.480 em cadastro de reserva, em 44 cidades do país.  Há oportunidades em diversos cargos dos níveis fundamental, médio, médio/técnico e superior. As inscrições começam no dia 15 de julho e vão até o dia 10 de agosto, no site da Fundação Cesgranrio.

Os salários iniciais variam de R$1.057,36 a R$4.656,67. Para os profissionais de vendas júnior, cujos vencimentos são de R$2.939,71, os rendimentos poderão ter acréscimo proveniente de comissão condicionada, de acordo com o plano de cumprimento de metas,que varia de R$380 a R$2.200. Assim, o salário para esta função pode chegar a R$5.139,71.

Entre outros benefícios oferecidos estão: vale-gás, tíquete-refeição ou refeitório no local, tíquete-alimentação, assistência médica, vale-transporte, convênios farmácia e odontológico, seguro de vida em grupo, plano de previdência, auxílio-funeral, auxílio a filhos excepcionais, creche e adicional por tempo de serviço.
 
As vagas são para os estados de Alagoas, Amapá, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Piauí, Rio Grande do Sul, São Paulo, Tocantins e Distrito Federal. As maiores ofertas são para os cargos de ajudante de carga/descarga (13 vagas imediatas e 1.060 em cadastro) e oficial de produção (20 imediatas e 1.960 em cadastro). O primeiro requer o 5ª ano do ensino fundamental (antiga 4ª série primária) e o segundo exige o nível fundamental completo. Os salários iniciais são de R$1.057,36 e R$1.355,53, respectivamente.
 
O cargo de assistente administrativo, que exige apenas o nível médio e tem salário inicial de R$1.531,41. São oferecidas 36 vagas imediatas, além de outras 380 em cadastro de reserva, para ser utilizado durante o prazo de validade da seleção, de seis meses, prorrogável por igual período.
 
 As provas objetivas para todos os cargos serão aplicadas no dia 20 de setembro, enquanto as provas de capacitação física para ajudantes de carga/descarga e oficial de produção I acontecerão nos dias 7 e 8 de novembro. Os resultados finais serão divulgados no dia 1º de dezembro. As contratações ocorrerão pelo regime celetista. A seleção terá validade de 6 meses e poderá ser prorrogado, uma vez, por igual período.


Do Ibahia

Câmara rejeita redução da maioridade penal


Texto rejeitado é um substitutivo; Cunha promete colocar proposta original em votação nesta quarta-feira

A Câmara dos Deputados rejeitou na madrugada desta quarta-feira 1º a proposta de redução da maioridade penal (PEC 171/93). O texto determinava queadolescentes pudessem ser punidos como adultos, a partir dos 16 anos, nos casos de crimes hediondos, como estupro, latrocínio e homicídio qualificado. A proposta precisava de ao menos 308 votos para ser aprovada, mas o resultado foi de 303 votos a 184.
O texto rejeitado, no entanto, é um substitutivo aprovado na comissão especial. Com isso, falta colocar em votação a proposta original, que propõe a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos para todos os crimes.
O substitutivo rejeitado nesta terça-feira nasceu de uma articulação de Eduardo Cunha com as três bancadas "B" (Boi, Bala e Bíblia), que defendem a redução da maioridade. O substitutivo veio a partir do relatório de Laerte Bessa (PR-DF) e teria na avaliação de Cunha e seus aliados, mas chances de ser aprovado do que o projeto original, que foi apresentado em 1993 e poderia ser considerado muito radical para alguns parlamentares e pela sociedade.
Cunha promete por o projeto original em votação já nesta quarta-feira mas, em tese, sua aprovação é mais difícil por ele ser mais radical do que o substitutivo vetado hoje em plenário. 
A votação aconteceu em meio a protestos de estudantes e deputados. O parlamentar Arnaldo Jordy (PPS-PA) criticou a pressa do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMBD-RJ). “O debate foi atropelado nesta Casa. A Comissão especial ainda tinha 12 sessões para ouvir defensores, associação de magistrados. O deputado Eduardo Cunha interditou esse debate”, afirmou o parlamentar.
Cunha também proibiu a entrada de manifestantes no Plenário da Câmara durante a votação. A ordem contraria decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que tinha concedido habeas corpus para 19 dirigentes da União Nacional dos Estudantes (UNE). O deputado optou por distribuir senhas para os partidos, para que as legendas repassassem aos seus partidários.
Com isso, houve protesto e tumulto em acessos ao salão verde da Câmara. Na confusão, O deputado Heráclito Fortes (PSB-PI) foi derrubado e policiais legislativos chegaram a utilizar spray de pimenta contra os estudantes. O presidente da Câmara negou Cunha negou que estivesse desrespeitando a decisão e disse que tomou a medida por questões de segurança.
Apesar disso, alguns manifestantes conseguiram entrar na galeria da Câmara e entoaram gritos de protestos contra os deputados a favor da redução da maioridade penal. “Fascistas, fascistas, não passarão”. Diante da manifestação, Cunha ameaçou retirar o público que, segundo ele, deve se comportar.
Antes do debate começar, o PSOL tentou obstruir a proposta. Mas o Plenário da Câmara rejeitou o requerimento do partido que pedia a retirada da PEC da maioridade penal da pauta. Em meio ao tumulto, 20 deputados puderam opinar sobre a PEC na tribuna, sendo dez a favor e dez contra a proposta.
O deputado João Campos (PSDB-GO) foi um dos que defendeu a proposta. “Se aprovarmos, e espero que aprovemos, não estaremos proibindo a construção de escolas de tempo integral, não estaremos proibindo políticas de assistência e proteção para criança e adolescente. Sequer estaremos revogando o Estatuto da Criança e do Adolescente”, amenizou.
Em oposição, a deputada Maria do Rosário (PT-RS) pediu o voto “não” ao texto. “Não ofereçam a desesperança dos presídios, que não têm melhorado a vida de ninguém, a jovens que podemos resgatar”, apelou.
Por Carta Capital