.

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Abertas seis mil vagas para cursos profissionalizantes em 71 cidades da Bahia




Jovens com idade entre 18 e 29 anos que não concluíram o ensino fundamental e estão fora da escola, mas que desejam retomar os estudos e obter uma qualificação profissional, podem se inscrever para concorrer a uma das 6.570 vagas dos programas Projovem do Campo e Projovem Urbano.
As inscrições podem ser feitas até o próximo dia 20, nos 71 municípios do estado com vagas abertas. Em Salvador e Região Metropolitana estão disponíveis 1.050 vagas. Os cursos são promovidos pela Secretaria da Educação do estado  e garantem um diploma de conclusão do ensino fundamental e outro de formação profissional na modalidade escolhida. Os estudantes terão direito a uma bolsa auxílio mensal de R$ 100.

O Projovem Campo tem duração de 24 meses e 3.630 vagas para candidatos que moram na zona rural. As oportunidades são nas áreas de agroindústria, agricultura, extrativismo, sistema de cultivos e sistema de criação. Já para o Projovem Urbano, a duração do curso será de 18 meses e as vagas são nas áreas de administração, alimentação, arte e cultura, construção e reparos, metalmecânica, saúde e telemática.
Os inscritos nessa modalidade, que tem filhos de até 8 anos, poderão usar uma sala de acolhimento, onde as crianças podem ficar enquanto eles estudam. Para se inscrever, os interessados devem comparecer ao centro de formação profissional do município onde desejam estudar, com originais e cópias de RG, CPF, título de eleitor, comprovante de residência e histórico escolar.
Alunos com o ensino fundamental incompleto serão submetidos a um teste de leitura e escrita, por meio do qual será comprovado se o candidato tem capacidade para participar do programa.

Do Correio 24 Horas

Bahia perde 2,8 mil postos de trabalho com carteira assinada


O resultado expressa a diferença entre o total de 62.536 admissões e 65.408 desligamentos
As informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), sistematizadas pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI/Seplan), referentes ao mês de janeiro de 2015, apontam que a Bahia contabilizou um saldo negativo de 2.872 postos de trabalho com carteira assinada. O resultado expressa a diferença entre o total de 62.536 admissões e 65.408 desligamentos.
O saldo registrado em janeiro situou-se em um patamar inferior ao contabilizado em igual período do ano anterior (+ 3.994 postos),  superior ao mês de dezembro de 2014 (-21.561 postos), incluindo as declarações fora do prazo. 

Setorialmente, em janeiro, na Bahia, os saldos positivos se deram nos setores de Serviços (+ 1.579 postos), Indústria de Transformação (+569 postos), Agropecuária (+358 postos) e Serviços Industriais de Utilidade Pública (+81 postos). Registraram saldos negativos Comércio (-2.734 postos), Construção Civil (-2.585), Extrativa Mineral (-81 postos) e Administração Pública (-59 postos). 

Nacionalmente, o Caged registrou saldo negativo de 81.474 postos no mês passado. O pior resultado para o mês desde 2009, quando foram fechadas 101.748 vagas pela série sem ajustes. Em janeiro de 2014, o saldo foi positivo em 62.448 pela série ajustada e em 29.595 sem ajuste.
A série sem ajuste considera apenas o envio de dados pelas empresas dentro do prazo dado pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Após esse período, há um ajuste da série histórica com as informações atualizadas pelos empregadores.

Do Correio 24 Horas

Grupo explode caixa eletrônico que fica ao lado de delegacia em Várzea do Poço



Um caixa eletrônico do Banco do Brasil, em Várzea do Poço, município localizado a 331 quilômetros de Salvador, foi alvo de uma ação criminosa na madrugada deste sábado (28). Segundo a delegacia de Polícia Civil da cidade, o crime aconteceu por volta da 1h, no Centro, quando cerca de 10 homens armados cercaram a agência do BB, que fica ao lado da delegacia de Várzea do Poço. 


Os criminosos pediram para que moradores, que comemoravam um aniversário em um barzinho próximo ao local do assalto, deixassem o local e fechassem o estabelecimento comercial. Eles explodiram o terminal de autoatendimento, que tinha sido abastecido na véspera (27). 
"A cidade estava dormindo, e todos acordaram com a explosão", relatou um morador que preferiu não se identificar. O grupo também atirou para cima mais de 20 vezes, e alvejou uma viatura da Polícia Militar, mas ninguém ficou ferido. Eles fugiram em um Fiat Siena, uma Toyota Hilux e duas motocicletas. 

Todo o dinheiro do terminal de autoatendimento foi roubado durante a ação, mas a quantia ainda não foi determinada pela polícia. Em janeiro de 2014, os dois caixas eletrônicos do município foram destruídos durante um assalto na cidade.
Desta vez, o único alvo do crime foi o terminal do Banco do Brasil, pois ainda de acordo com a delegacia de Várzea do Poço, o do Bradesco ainda não foi abastecido. A polícia suspeita que algum informante entrou em contato com a quadrilha revelando quando o caixa do BB receberia dinheiro. A PM realiza buscas pelos criminosos na área, mas ninguém ainda foi preso.

Do Correio 24 Horas

Menino contou a porteiro que pulou de apartamento, diz delegado


Garoto de 10 anos sobreviveu após cair do décimo andar de um prédio residencial em Campinas, no estado de São Paulo

O menino de 10 anos que sobreviveu após cair do décimo andar de um prédio residencial em Campinas, São Paulo, na tarde de quinta-feira (26), teria contado ao porteiro que "pulou" da janela do imóvel.


As informações são da Polícia Civil. O garoto segue internado na unidade de terapia intensiva do Hospital de Clínicas da Unicamp. Segundo a instituição, o menino não tem previsão de alta.
De acordo com informações do delegado titular do 4º Distrito Policial, Maurício Lucenti, o porteiro foi o primeiro a tentar auxiliar a vítima após o incidente no Jardim Paineiras, além de ter sido uma das primeiras testemunhas ouvidas pela polícia.
A ocorrência foi registrada como tentativa de suícidio, mas a Polícia Civil não descarta outras hipóteses. Apenas a empregada estava no apartamento no momento da queda. Ela disse aos investigadores que limpava a parte superior do imóvel, quando percebeu "algo errado" ao ouvir um barulho muito alto.

Acidente

Um garoto de 10 anos sobreviveu de uma queda de dez andares de um prédio residencial nesta quinta-feira (26) em Campinas, São Paulo. O menino bateu no telhado do estacionamento antes de cair no chão. As informações são da Polícia Militar. 
O menino foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e encaminhado, consciente, pelo helicóptero Águia para o Hospital das Clínicas da Unicamp. O garoto mora com a família em uma cobertura duplex no bairro Jardim Paineiras. Havia uma rede de proteção no cômodo, mas ela estava cortada.

Perícia

O menino teve uma fratura no quadril e outros peguenos ferimentos, segundo o Hospital das Clínicas, mas tem estado de saúde estável. Ele permanecerá por precaução entubado na UTI por até 24 horas.
Peritos da polícia estiveram no prédio para analisar o local da queda. A criança, mesmo consciente, não explicou como a queda aconteceu. O porteiro do prédio e a empregada já foram ouvidos. Todas hipóteses estão sendo analisadas, inclusive que o garoto tenha sido jogado da janela ou se jogado.

Do Correio 24 Horas

Pelourinho recebe evento de dança de rua


Para celebrar o break, um dos elementos da cultura hip hop, o coletivo Boom Clap lança o Boom Break - Circuito Dança de Rua. A primeira edição do evento será realizada neste sábado, 28, na Praça Tereza Batista (Pelourinho), a partir das 19 horas.

Os B.Boys e B.Girls da Bahia vão poder se divertir nas rodas de break, também conhecidas como Cypher, e os que se inscreverem poderão se enfrentar em batalhas de duas modalidades: Seven Two Smoke (B.Girls) e Breaking 2x2. O som das disputas fica por conta de Jarrão, DJ residente do evento com grande experiência na área.

Do Jornal A Tarde

Com R$ 50 da avó, ambulante ganha 1º milhão vendendo hambúrguer na praia



                                 Foi nas areias de Ipanema, no Rio  da avó. Era o início da Hareburger que, oito anos depois, fechou 2014 faturando R$ 1,2 milhão em duas lojas fixas. O lucro não foi informado.

Uma das lojas é a matriz da rede, chamada por Krás de "nave-mãe". A outra unidade é franqueada. O custo de abertura é a partir de R$ 190 mil, segundo a empresa. O faturamento médio mensal é de R$ 100 mil, com lucro líquido de 15% (R$ 15 mil) e retorno do investimento em até 30 meses.

Apesar das lojas, a empresa não abandonou as praias. Krás afirma que seis vendedores autônomos são responsáveis por revender os hambúrgueres da marca nas areias de Ipanema e do Leblon. Para trabalhar para a rede, os vendedores precisam estar formalizados como microempreendedores individuais.
"Eles compram nossos hambúrgueres com desconto e revendem pelo preço da loja", diz. "Também fornecemos o isopor, uniforme e um leitor de cartões, que pode ser acoplado a um smartphone."

Durante o verão, a venda de hambúrgueres nas praias triplica e a empresa chega a contar com até dez vendedores ambulantes, todos autorizados pela prefeitura a exercerem a atividade, segundo Krás.

A Hareburger tem sete opções de sanduíches. O mais vendido é o de shiitake, mas também há lanches com molho de manga, abacaxi e pão de sete grãos, todos feitos com hambúrguer de soja. Os preços variam de R$ 13 a R$ 15, dependendo do sabor. Além disso, as lojas vendem sucos e sobremesas naturais.

Negócio começou com R$ 50 emprestados da avó

O empresário, que é vegetariano, percebeu a oportunidade de negócio ao frequentar praias e não encontrar opções de alimentos sem carne. Decidido a atender esse público, ele pediu R$ 50 emprestados a avó e comprou isopor, papel alumínio e ingredientes para montar os primeiros "hare burgers".

Praticante de kung-fu e meditação, Krás se inspirou na cultura oriental e esotérica para criar a identidade do negócio. Alguns ingredientes levam nomes diferentes, como "cheddar alucinante", "tomate psicodélico", "mostarda transcendental" e "molho secreto vulcânico de Marte" (barbecue).

"Precisava de um diferencial de marketing. Essa foi uma forma descontraída que encontrei para chamar a atenção do público", diz. "É uma inspiração que vem das estrelas." Para este ano, ele planeja a abertura de cinco unidades franqueadas no Rio de Janeiro e uma em São Paulo, no segundo semestre.

Sazonalidade é risco para negócios na praia

Negócios na praia convivem com o risco da sazonalidade, segundo Rodolfo Olivo, professor da FIA (Fundação Instituto de Administração). Enquanto as vendas se multiplicam no verão, elas caem na mesma proporção durante o inverno. Sem planejamento, a empresa pode não suportar o período de baixa e fechar, de acordo com o professor.

"É preciso planejamento. Durante o verão, o empresário tem de fazer uma reserva de dinheiro para aguentar os custos do inverno. Se ele gastar tudo ainda no verão, não vai ter fluxo de caixa suficiente para pagar as contas depois", afirma.

Para o Olivo, antes de abrir um negócio na praia, o empresário deve analisar se a ideia é viável o ano todo e, principalmente, não se enganar com o movimento de verão no litoral. "A praia cheia dá uma falsa sensação de que não faltará público. Por isso, também é importante ver o movimento fora da alta temporada", diz.

Faturar R$ 1 milhão com loja de hambúrguer é possível, diz especialista

Faturar R$ 1,2 milhão em um ano com a venda de hambúrguer é possível, segundo cálculos de Olivo. Para alcançar tal número, o especialista diz que cada loja da Hareburger precisa arrecadar R$ 50 mil por mês. Levando em conta um gasto médio por cliente de R$ 20 (lanche + suco), cada loja teria de atender cem clientes por dia.

"Por ser no Rio de Janeiro, uma cidade grande e com alto fluxo de turistas, é possível que cada loja atenda cem clientes em um dia", afirma.

Do  Uol

Carro é encontrado em chamas na BA 155, em Barreiras




Um veículo Ford KA foi encontrado no início da tarde desta sexta-feira, 27, por volta das 12h40, na BA 455, estrada que liga Barreiras a Catolândia, logo após o bairro Parque Verde.


 
Segundo um morador de uma chácara, localizada nas proximidades, o veículo estaria abandonado no local desde a tarde da última segunda-feira, 23.
Os bombeiros foram acionados e apagaram as chamas. A polícia militar foi ao local e registrou o caso.


O carro teve perda total, ficando totalmente carbonizado e só foi identificado através da placa.

Por Sigi Vilares